Será que dá pra convivermos com a solidão? E esta foi a principal questão compartilhada nesta tarde de sábado (09), com todo o Bloco Oeste na Universal do Recreio durante o Conexão Total FJU, abordada pelo Bispo Marcello Brayner que conversou sobre o assunto com os jovens presentes. “Queremos mostrar pros jovens que a solução para o seu problema interior não é se isolar, e que existe um grupo de jovens que está disposto a ajudá-lo a superar a solidão sem precisar de drogas, noitadas, bebedeiras, e que existe uma forma sim de ser feliz sem a solidão.” disse Jonathan, líder do FJU Taquara.

É fácil enxergar a solidão como algo ruim. Porém, há dois tipos de solidão: uma que é totalmente opcional, em que a pessoa literalmente tem uma vida particular independente de outras pessoas, por exemplo, para quem mora sozinho. A outra solidão é íntima e, por mais que se esteja em meio a uma multidão de pessoas, grupos, até familiares ou amigos, a pessoa se sente sozinha.

Muitos quando estão em um grupo são um tipo de pessoa, mas quando estão em casa sozinhos, no quarto, caem na real e logo vem aquela dor na alma. Tem quem tente neutralizar essa dor interior com outras dores, por exemplo, a automutilação. O problema é que só Um pode acabar com essa dor, realizar o seu interior: Deus! Dentro de cada um de nós existe um lugar que só Deus pode preencher e quando isso acontece, finalmente a pessoa vai se realizar.

Um caso de superação completa da solidão foi o da obreira Vanessa, que falou sobre as várias tentativas erradas de vencê-la, sem sucesso: “Fui rejeitada pelo meu pai na infância. Sentia solidão desde pequena. Pensava que nem devia ter nascido, e muitas vezes ouvi isso em casa. Tentei encontrar uma solução para o meu vazio em amigos e bailes, até no suicídio, mas essas coisas só pioravam a situação. Quando eu tive meu encontro com Deus, fui batizada com o Espírito Santo, aquele vazio passou, a solidão acabou e eu consegui até mesmo perdoar meu pai.”

A tarde com o Bloco Oeste também contou com diversas apresentações especiais do projeto Cultura. A Banda Rec Band, do Recreio, deu início à reunião, e o Conexão também foi recheado com a presença do grupo SemeArt com uma linda encenação em balé, a banda InovaSom, diretamente da Taquara, além da banda The Signs, um coral com as principais vozes da banda do Recreio e, logo em seguida, o cantor Daniel Brayner.

Além disso, uma peça teatral organizada pela Cia Teatral EdificArte, também da Taquara, abordou o tema “Solidão”, mostrando a história de um jovem que tem uma recaída, acaba sendo abandonado pela sua esposa e, desesperado por superar a solidão que sente e não conseguindo enxergar Jesus que está o tempo todo ao lado do protagonista, tenta acabar com esse sentimento de outras maneiras que só prejudicavam-lhe ainda mais. Sem mais opções, ele desiste de tentar vencer a solidão de forma errada, e encontra a solução para o seu problema na palavra de Deus, finalmente se encontrando com Jesus.

Daniel Felipe, do Cultura, comentou sobre a peça: “A certeza de que não estamos sozinhos não é um sentimento, nós podemos perceber dentro de nós, o nosso interior é que nos dá essa resposta.” Felipe, que fez o papel de Jesus, também deu sua opinião sobre a solidão: “Deus é onipresente, onisciente, onipotente, é o que a Bíblia diz. E o sacrifício de Jesus na cruz não foi em vão. Foi pra que, justamente, o Espírito Santo fosse enviado para nós, pra garantir que Ele estaria conosco, mesmo nos momentos de dificuldade e dor.

O Conexão surpreendeu a todos, principalmente aos que, pela primeira vez, estavam presentes na reunião. O Everson, por exemplo, relata sua satisfação e mudança: “Entrei aqui muito triste, preocupado com o que está acontecendo na minha vida, mas estou saindo daqui renovado, com uma certeza no meu coração da mudança, e vou continuar.”

Você não está sozinho, venha saber mais sobre como combater a solidão íntima. Nossos encontros acontecem todos os sábados, às 15h, em uma FJU pertinho de você. Vem pra FJU!

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA